Skip to main content
olhos vendados

Uma sociedade que não se olha nos olhos

Vivemos atualmente em uma sociedade que não se olha nos olhos . Exagerado começar um texto assim? Talvez. Entretanto, andando por vários lugares um fato se destaca na multidão, estamos presos à tela de nossos smartphones. Andamos por aí, vagando como seres sem consciência, apenas “passando” pelos lugares e pela vida.

Para notar esse fato, não é preciso se esforçar muito, apenas ande de metrô e vá olhando pela janela, você poderá facilmente notar que ao passar das estações a grande maioria das pessoas que estão à espera do transporte, não desgrudam da telinha do nosso “amiguinho” favorito o smartphone.

Infelizmente, essa é um hábito que se tornou uma característica da nossa sociedade atual, passar pelos lugares de forma distraída e desconectada do mundo real. Entretanto, esse é um hábito que traz muitos malefícios para nós, pois por passar pelos lugares e situações de maneira automática, acabamos por perder diversos detalhes que fariam toda a diferença no nosso dia a dia, desde a percepção de algo que nós faça refletir ou de uma ação que poderíamos tomar para ajudar o nosso semelhante.

 

Esse hábito tomou proporções tão assustadoras que muitas vezes vemos pessoas conversando cara a cara que não se olham nos olhos, já que estão com sua atenção toda voltada para o que se passa em seu smartphone, ou até pessoas que estão em uma mesa de bar para uma happy hour que não se comunicam, pois estão todas reunidas, porém separadas ao mesmo tempo, já que cada um está preso no mundo virtual, tendo como seu único companheiro o smartphone.

Portanto, infelizmente, vivemos em uma sociedade que não se olha nos olhos, uma sociedade que perdeu o gosto de se bater um bom papo na mesa do bar, uma sociedade que não olha ao redor, vivemos em uma sociedade que precisa olhar além das telas dos smartphones, pois a vida de verdade não ocorre no mundo virtual, ela ocorre no mundo real e passa muito rápido. E para encerrar uma pergunta: Você vive sua vida plenamente ou apenas está passando pela vida, com os olhos grudados na tela do celular?

Comente aqui