Skip to main content
criança

Qual a idade para presentear uma criança com um celular?

Em épocas passadas as crianças tradicionalmente brincavam na rua, rodeadas pelos seus amiguinhos, jogando futebol, queimada, brincando de pega- pega etc. Atualmente essa é uma cena muito rara de se ver, uma por questões da violência nas cidades e outra porque essas brincadeiras tão tradicionais, hoje não atraem tantos às crianças. A geração nascida nos anos 2000 gosta de vídeo game, tablet e celular (não podemos generalizar, mas a maioria sim). Entretanto, em meio a essa situação uma questão vem a nossa cabeça:

Existe uma idade ideal para a criança ganhar um celular?

A resposta para essa pergunta é sim, pois nos primeiros anos de vida devemos incentivar o desenvolvimento intelectual e interpessoal das crianças. Os vídeo games e os celulares fazem a parte do desenvolvimento intelectual, não podemos negar, porém o desenvolvimento interpessoal essa é uma parte que eles não conseguem fazer, pois jogamos vídeo game na grande maioria do tempo sozinhos, isso vale para o celular também.

 

Alguns especialistas dizem que a partir dos 10 anos, pode se começar a pensar em presentear a criança com um celular, outros dizem mais tardiamente a partir dos 12, porém em ambos os casos deve-se analisar a rotina da criança e verificar se é realmente necessário que ela possua um celular.

Ter atenção ao tempo que seu filho fica ao celular é de extrema importância, pois atualmente vivemos em uma era de pessoas ansiosas e às vezes muito individualistas, desenvolver características tais como: a sociabilidade, a persistência, a garra são fundamentais e essas características nós só desenvolvemos com o contato com outras pessoas. Por isso, equilibre o tempo que o seu filho fica no “zap zap” faça ele gostar mais do contato “cara a cara” que o virtual, com certeza seu filho te agradecerá no futuro, pois com essas ações você formará um indivíduo que fará a diferença nesse mundo. E são de pessoas que fazem a diferença que mais precisamos atualmente. #ParaRefletir

 

Comente aqui