Skip to main content

Publicidade contemporânea: a era da interatividade

Com a chegada da era digital, ocorre uma reinvenção de divulgação de produtos. Hoje, a mídia nos coloca em contato constante (seja em tempo real ou não) com qualquer forma de publicidade e em qualquer ambiente virtual.

A internet, considerada como o 5º poder da comunicação, vai na direção contrária do que a TV, o Rádio e os Impressos tem a oferecer para o público, pois ela promove a interatividade, a quebra de barreiras entre culturas, distâncias geográficas e até mesmo étnicas.

Lógica da publicidade no contexto digital

Portanto, a lógica da publicidade neste contexto digital é condicionar, no sentido de estabelecer laços com o consumidor, estimular a interação, dizer o quanto você é importante e fundamental. Por esta razão, vemos o esforço publicitário cada vez maior em inserir situações cotidianas em seus anúncios para divulgar uma marca ou produto.

Abaixo alguns exemplos desta interatividade na publicidade:

publicidade

A TIM lançou o primeiro comercial (quase) ao vivo captado por um celular com a tecnologia 4G, dentro de um dos estúdios da Rede Globo, protagonizado por Luciano Hulk e Daniele Suzuki. A operadora inovou ao tangibilizar o benefício, pois o filme demonstra a eficácia da navegação 4G, além de conter uma linguagem completamente voltada para o consumidor, enfatizando benefícios do produto.

selfie c&a

A loja C&A Modas lançou sua campanha de outono/inverno 2015 de forma totalmente inovadora e digital. Em todo momento da campanha a marca promove interação com as consumidoras e quem protagoniza essa ação é a atriz Thaila Ayala junto a modelo Aline Weber. Juntas, elas ilustram situações do cotidiano com os novos looks da coleção, tudo registrado por selfies. Além disso, na compra de uma peça da coleção e uma foto com a hastag #selfiecea, é possível concorrer a um prêmio.

Com os exemplos citados acima, é possível entender que a publicidade contemporânea permite produzir e receber conteúdos em tempo real. Ocorre uma espécie de quebra da “via de mão única”, já que a internet permite o feedback imediato de uma ação, a interatividade que as mídias tradicionais, embora até hoje muito importantes, não viabilizam para o consumidor.

Comente aqui