Skip to main content

Precisamos começar a pensar em números menores no mundo digital.

Esses tempos acabei de ler um livro que não tinha nada a ver com marketing, publicidade e comunicação. Era um livro escrito por um matemático a respeito dos equívocos que podemos ter analisando números. O título da obra em questão é “Os números (não) mentem”. Até hoje no “mundo offline” se fala muito em números gigantescos de pessoas que são impactadas pela televisão, por exemplo. Essa lógica parece ainda estar na mente de muitos planejadores e analistas no meio digital. Não quero dizer que números grandes são ruins, mas que os números menores podem ser muito mais úteis, e geralmente são.

O livro clássico “Cauda Longa” já da uma ideia do pensamento de números menores que tem muita utilidade quando trata dos negócios em nichos. Claro que o lado daquela curva onde tem muita gente é bem rentável, mas pra muitos o lado menor da mesma curva é o local onde está o ouro. Quando tratamos de questões estratégicas no meio digital, pensar pequeno as vezes é o caminho. Por exemplo: será que a Página da minha pequena agência com um foco bem definido (ex.: atendemos o mercado gastronômico apenas) precisa de 3 mil fãs a qualquer custo? Quando digo isso, falo em por dinheiro nos Ads do Facebook e ficar feliz com o resultado absoluto. Talvez eu deveria pensar que no início o ideal é ter menos gente mas com mais qualidade! Provavelmente esses poucos terão mais credibilidade ao interagir com a página e essa ação aparecer na Linha do Tempo deles pros amigos olharem.

Será que eu preciso enviar 10 mil e-mails de uma mailing list sem qualificação? Acredito que não até porque seremos apenas SPAM. Uma empresa de comunicação digital não pode enviar SPAM achando que é uma prática que dará bons resultados. Sabemos que converte, mas muito pouco a um custo muito alto de ficar marcado como algo ruim pro mercado. Paciência é a palavra! O que tem que crescer são os negócios, a comunicação pode ser mais lenta levando a uma busca por maior qualidade das pessoas impactadas (até porque o investimento pra essa área tende a ser baixo quando se está começando uma empresa).

Precisamos gastar muito em AdWords com o objetivo apenas de “aumentar o tráfego”? Quem pensa apenas no impacto de números absolutos faz sentido, quem pensa no negócio na maioria dos casos não. Aumentar o tráfego é bom, mas o melhor é o quanto convertemos desse tráfego. Talvez um número menor de pessoas daria um resultado melhor pra empresa e então a preocupação não ficaria em um número absoluto grande e sim em um menor com mais qualidade. É mais fácil ficar satisfeito com um número enorme e se assustar com uma queda ou com algo que alguém julga baixo. É mais difícil o olhar crítico sobre tudo e ver o que realmente está acontecendo.

Óbvio que se tiver um número enorme de seguidores e um mailing list gigantesco e de qualidade é uma enorme força da empresa, mas tenho dúvida quanto a isso ser verdadeiro para a maioria das empresas que estão atuando no meio digital. As vezes me parece que estamos refletindo o famoso erro de muitos que treinam em academia. Pensam só no número que está marcando no peso da anilha do exercício que está fazendo e esquecem de executar direito. Pro resultado final que é melhorar a parte física nem sempre números grandes devem ser o foco, assim como para a maioria das empresas que estão investindo em marketing digital.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *