Skip to main content
erros

Por que cometemos sempre os mesmos erros?

Vocês já pararam pra pensar a quantidade de vezes que cometemos os mesmos erros? Lendo agora um livro sobre os ditadores que passaram pela América Latina vejo que em diferentes períodos da história nações viveram a base de golpes militares sempre com uma mesma esperança e discurso: mudar as coisas para melhor. Em todos os séculos em nenhum momento as coisas mudaram pra melhor. Tiveram períodos que depois receberam o nome de “milagre econômico”, mas sempre as custas de aumento de dívidas e grande parte da população ainda sofrendo dos mesmos problemas.

Esse não é um post pra discutir política, mas sim pra criar uma discussão sobre a nossa dificuldade de realmente mudar as coisas. Quantas crises econômicas podem ser avaliadas com mesmos erros das anteriores? Quantas empresas faliram pelos mesmos erros de gestão? A internet, que é vista como grande vilã, nunca foi a culpa de fato por negócios acabarem. O que aconteceu é que os gestores não viram que o ambiente mudava e não fizeram nada. O pior de tudo é que muitos viram negócios acabarem e mesmo assim erraram da mesma maneira. No “mundo do marketing” isso é muito comum.
Todo ano vemos empresas jogando dinheiro fora em publicidade por se manter firme em algum meio que não da o melhor resultado. Perdem dinheiro e não aprendem. Todo ano vemos casos de maus tratos com clientes, e mesmo assim as coisas continuam a acontecer. Todos os períodos em que algo novo surgia no mercado, apareceram diversos gurus que tiveram seguidores e no fim as modas caíram e essas pessoas sumiram, e mesmo assim continuamos entrando na onda. Na vida também erramos o tempo todo sobre o mesmo assunto e custamos a mudar. Por que será que essas coisas acontecem?

Pra começar, se assumimos que erramos temos consciência do fato. Então não é uma questão de não saber. Claro, que muitas pessoas e empresas negam o erro que outros tentam mostrar, mas não é esse meu foco da discussão. A minha hipótese é que apenas tomar consciência de algo não significa o aprendizado. Para aprender temos que parar e pensar profundamente sobre o assunto. Infelizmente, não são todos que fazem isso e no fim os erros vão se repetindo, algumas vezes pelos mesmos envolvidos outras por diferentes personagens.

Esse cenário é muito ruim pois, na minha opinião, leva a uma demora para se mudar para melhor os mercados. Vamos pegar as agências de publicidade. É bem provável que ao redor do mundo iremos reclamar dos mesmos problemas. As vezes é o pagamento que não é bom. Outras é as horas de trabalho absurdas. Outras são os clientes que são uns chatos e te contratam mas querem dizer tudo sobre o que tu deve fazer no trabalho (o que não faz sentido, se tu contratou alguém justamente para não fazer todo o trabalho). As vezes são os profissionais que parecem não saber porque acertaram uma vez e erraram outras vinte. Então enquanto um grupo aprende outros não mudam.

Podemos pensar que na América Latina já aprendemos com as ditaduras e faz uns 20 anos que temos uma certa estabilidade. Será? Temos casos como a Venezuela, que apesar de ocorrer eleições, sempre envolvida em debates a respeito do Hugo Chávez. Temos Cuba. Existem cidadãos em todos os países que acreditam na solução dos problemas apenas com mais uma ditadura. Também podemos pensar que o mercado da comunicação e marketing está mais maduro. Será?

Posso apostar que teremos esse ano vários fails de campanhas publicitárias (que ao analisar veremos que foram erros já cometidos anteriormente). Posso apostar que vai surgir alguma polêmica nas mídias sociais sobre algum evento entre “Marca vs Cliente”. Posso apostar que vai surgir a mais nova incrível ferramenta que resolverá todos os problemas de todo e qualquer negócio. Posso apostar que vai ter alguma polêmica de privacidade porque as coisas não foram bem esclarecidas e/ou alguém entendeu errado e a bola de neve se criou e, por fim, posso apostar que vai haver alguma campanha em massa no Facebook contra algo que na verdade era mentira.

Eu sempre procuro dizer “Vamos por nosso senso crítico no trabalho pesado”. Quanto mais a gente ler, quanto mais a gente questionar e quanto mais a gente investir 10 minutos em alguma pesquisa antes de sair falando, mais chances teremos de não apenas ter consciência de que erramos, mas de aprender de fato e deixar as coisas cada vez melhores para todo mundo. Mãos à obra!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *