Skip to main content
outdoor homofobico

O outdoor que não gostava das gays

Outdoors estão em todos os lugares. Ocupam seu espaço nas metrópoles, ou mesmo nas cidades menores, pequenas, mas que têm um espaço para eles também. Algumas pessoas dão mais atenção do que outras, mas todo mundo os vê. Têm os recentes, ou aqueles que já estão ali faz um bom tempo. Alguns são respeitados mais que outros e isso pode ser uma barra. Enfim Outdoors existem, não podemos negar.

Agora, tente ler o parágrafo anterior substituindo “Outdoors” por “homossexuais”.

Espero que não lhe tenha parecido estranho. Afinal de contas, gays estão sim em qualquer lugar; são vistos; têm (ao menos o direito) espaço; alguns são respeitados, outros não e mais outras semelhanças. Mas a mais relevante aqui é: eles existem, não podemos negar. Não precisamos negar.

E por que evocar essa relação? Bem, entre seres com “semelhanças tão tocantes” espera-se a colaboração mútua e o entendimento das dificuldades partilhadas e afins. Mas não foi bem o que aconteceu. Sendo claro: em Ribeirão Preto, São Paulo, alguns outdoors foram vistos difundindo mensagens contra a homossexualidade. Faltou aquilo da empatia mesmo.

outdoor homofobico
IMAGEM: http://www.tribunahoje.com/noticia/3900/brasil/2011/08/22/justica-veta-outdoor-considerado-homofobico-em-ribeirao-preto.html

O caso repercutiu ainda mais devido à época em que foram dispostos os anúncios. Na véspera da Parada do Orgulho Gay de Ribeirão Preto, a Casa de Oração de Ribeirão Preto teve por ideia uma série de outdoors com mensagens bíblicas. Uma delas era enfática ao afirmar o quão abomináveis são as relações entre dois homens.

Porém, a Defensoria Pública de São Paulo entrou em cena ingressando com uma ação civil pública contra a propaganda feita pela igreja. Com o decorrer do processo, a Casa de Oração foi condenada, sendo proibida de publicar mensagens que condenem ou degradem homossexuais. Isso sob promessa de multa em caso de descumprimento do parecer.

Os outdoors já existentes foram retirados um dia antes da parada. Em sua decisão, o juiz Aleksander Coronado Braido da Silva atestou que “a Constituição Federal protege a conduta do réu (a Casa de Oração de Ribeirão Preto) de expor suas opiniões pessoais, mas, ao mesmo tempo, também protege a intimidade, honra e imagem das pessoas quando violadas”.

Enfim, vale sempre lembrar da empatia, do respeito e da dignidade indispensável a qualquer um. Por isso, Outdoors, migos, melhorem por favor. Não esqueçam que com semelhanças ou não, vale mesmo é aceitar, conviver e respeitar. Agora tentemos trocar “Outdoors” por cada um de nós.

Comente aqui