Skip to main content

Os 6C’s das mídias sociais ao redor do mundo

Mais de 2 bilhões de pessoas ao redor do mundo estão usando as mídias sociais nos últimos 30 dias, e estes números continuam a crescer num ritmo impressionante.

Esta conexão apresenta enormes oportunidades que os profissionais de marketing não vão querer perder, mas o sucesso social requer uma abordagem diferente em diferentes países e culturas ao redor do mundo.

Então, como podemos obter um resultado direto das mídias sociais?

A resposta está nos 6C’s das mídias sociais

1. Conversação (Conversation)

Existem centenas de diferentes mídias sociais ao redor do mundo, todas construídas em torno de diferentes necessidades, interesses e funções tecnológicas. Todas estas plataformas têm uma coisa em comum, no entanto: a conversa. Sem conversa, as mídias sociais não são efetivas, e para as marcas a conversa é o que realmente importa.

Conversas permitem que marcas se tornem mais atraentes, evoluindo para além do simples produto ou serviço. A gestão de uma conversa “regional” na Ásia coloca uma série de desafios. Lá as pessoas falam mais de 2.000 idiomas.

Quando se tratam de conversas sociais, as pessoas preferem falar a língua que melhor lhes permite expressar. Porém, há invariavelmente muitas maneiras diferentes de se expressar a partir das gíria cotidianas ligadas ao nosso vocabulário.

A chave é lembrar que a comunicação bem sucedida não é determinada pelo que você diz; é determinada por aquilo que outras pessoas entendem.

Dica: passar algum tempo ouvindo conversas do seu público nas mídias sociais, e adotar um estilo que faz com que seja fácil para eles para conversarem com você.

2. Cultura (Culture)

As pessoas são muito diversas, e essa diversidade pode adicionar uma complexidade significativa para o processo de desenvolvimento de uma abordagem global unificada.

Em primeiro lugar, as pessoas seguem uma ampla variedade de religiões, cada um nas quais podem afetar o modo como uma marca precisa se comportar nas mídias sociais.

O social media terá que monitorar inúmeras festas religiosas e celebrações, inclusive sobre atitudes em relação a coisas como o álcool, estilos de vestir, e até mesmo as cores que podem variar drasticamente de uma cultura para outra.

Dica: certifique-se de que o seu conteúdo, antes de ser publicado, passe pelas equipes de desenvolvimento e gestores da comunidade buscando uma opinião para que entenda a cultura das pessoas que você está tentando engajar.

3. Neutralidade conteúdo (Content Neutrality)

O Facebook ainda comanda o maior número de usuários ativos no mundo, mas eles também são ativos em várias outras plataformas:

Bate-papo aplicativos como WeChat (Weixin), Whatsapp, Line e Kakaotalk explodiram em popularidade nos últimos meses, enquanto plataformas como o Weibo, Twitter e Instagram continuam a crescer também.

Como resultado, é importante para as marcas para evitar colocar todos os ovos na mesma cesta. Os profissionais de marketing precisam criar conteúdo que o público vai ser capaz de transferir de uma plataforma para a outra, o que permite continuar a conversa em seus próprios termos, com as suas diferentes redes.

Usuários de mídias sociais são rápidos em adotar novas plataformas, e os social media podem achar que o “like” ou “follow” que constroem em uma plataforma rapidamente se tornam irrelevantes como o público passar para a mais nova rede ou app.

Dica: construir comunidades em torno de paixões, e não de audiência em plataformas.

4. Necessidades da região/país (Country Needs)

O que sua marca precisa fazer para ter sucesso? É improvável que a resposta a esta questão irá envolver o mesmo conjunto de desafios e oportunidades em cada mercado, de forma que você precisa desenvolver uma abordagem que pode se adaptar às suas diferentes necessidades locais.

Grande parte se relaciona com o contexto público em cada mercado – por exemplo, o quanto eles sabem sobre a marca, ou o lugar específico que detém, papel que ela desempenha na paisagem local.

Você precisa educar as pessoas, ou apenas reforçar o que já sabem? Você já pode aproveitar “patrimônio cultural” como comunidade piadas ou imagens evocativas?

Você também vai precisar de adaptar o seu conteúdo e abordagem de conversação com as necessidades específicas de sua marca para coisas como novos lançamentos ou fatores ambientais (por exemplo, escassez de produtos).

Não se esqueça que a legislação local pode ter um impacto significativo em suas atividades também. Muitos países têm leis rígidas que regem aspectos como reivindicações de produto, competições, ou mesmo se determinados produtos (por exemplo, álcool) pode ser comercializado abertamente.

Dica: mesmo se você está apontando para uma abordagem global ou regional, garanta que ela seja flexível o suficiente para que ele possa se adaptar a uma variedade de necessidades locais.

5. Celulares (Cellphones)

As mídias sociais são cada vez mais uma experiência mobile first. Quase 80% dos usuários do Facebook acessam o serviço através de dispositivos móveis, enquanto quase todos os 438 milhões de usuários do WeChat – plataforma social mais usada na China – são mobile only.

Esta mobilidade apresenta algumas grandes oportunidades para o social media, se ele está se conectando com as pessoas quando elas estão realmente usando uma marca, quando estão no ponto de venda, ou quando eles estão fora socializando com os amigos.

No entanto, o contexto móvel varia consideravelmente de um país para o outro, e a diversidade móvel inexiste sem seus desafios.

Em primeiro lugar, as conexões de dados permanecem lentas em grande parte do mundo em desenvolvimento. O custo de dados móveis – acesso à internet móvel – ainda é um importante desafio.

Como resultado, os profissionais de marketing digital precisam construir planos conteúdo cuidadosamente equilibrados. O formato de vídeo pode entregar a “melhor experiência”, mas fluxos de vídeo ou downloads será muito lento e muito caro para o usuário móvel em países que ainda estão em desenvolvimento. Por isso certifique-se de incorporar mais simples de conteúdo e estático também. A conexão lenta significa que as marcas precisam agregar valor imediato.

Dica: certifique-se de todo o seu conteúdo será adaptado para uma experiência de consumo mobile.

6. Comunidades (Communities)

Se você precisa fazer uma abordagem global ou regional para as mídias sociais, evite categorizar o seu público com o país. Olhe para os interesses, motivações e atitudes e use esses pontos em comum para definir o seu público.

As pessoas são atraídas para quem elas sentem afinidade, e quando se trata da internet, essa afinidade é muito mais dependente de paixão do que sobre o lugar.

Dica: defina o seu público em torno de suas motivações compartilhadas e não na sua nacionalidade.

Traduzido e adaptado daqui > http://wearesocial.net/blog/2014/08/6cs-global-social-media/

Comente aqui

Thiago Acioli

Publicitário, Pós-graduado em Marketing Estratégico e criador do Publicitários Social Club.