Skip to main content
big data

Os 4V’s do Big Data no Marketing Digital

O Big Data, esse conjunto de grandes quantidades de dados e informações que são constantemente geradas em nosso meio, pode deixar de ser uma massa de informações, formando uma fonte de idéias, tendências e recursos. Isso exige saber como ele funciona, e trabalhar para desvendar totalmente seus mistérios.

Em primeiro lugar, convém mergulhar neste âmbito, com a finalidade de descobrir o que é realmente feito, as possibilidades que ele oferece e como nós podemos aproveitar esses dados.

Assim, podemos falar os 4 pilares que sustentam o Big Data no Marketing Digital. Vamos chamá-los de os 4V’s. Graças a essa subdivisão, será bem mais fácil de conhecer e aproveitar os dados fornecidos para nós.

Os 4V’s do Big Data são:

1. Volume: Como o próprio nome diz, o Big Data traz grandes quantidades de dados. Estes dados vão desde a identificação do cliente, sexo, idade, cidade em que nasceu e até o dispositivo que usa para acessar a página. Assim, é possível saber se é a primeira vez que você está visitando o site, quantas vezes você retornou ao site, seu histórico de navegação, seus interesses e suas preferências.

2. Variedade: Esta informação varia muito. Por dia são gerados mais de 500 milhões de tweets. A cada mês os usuários assistem mais de 4 bilhões de horas de vídeo, 30 bilhões de publicações são geradas no Facebook. Estima-se que até o final deste ano teremos mais de 420 milhões de aparelhos mobile.

Os dados quantitativos e qualitativos são provenientes de várias fontes, e em torno de ações distintas. Daí surge a necessidade de estruturar a informação e contar com ferramentas adequadas para registrar, analisar e interpretar os dados registrados.

3. Velocidade: Não podemos esquecer que no meio online a informação corre numa velocidade vertiginosa. Devemos demonstrar agilidade e flexibilidade para reagir a tempo antecipando as necessidades específicas do setor em geral e também as do cliente em particular. Para fazer isso, vamos ter estratégias específicas para a ação em determinadas situações, e ter técnicas para atuar com a mesma velocidade imposta pelo mercado.

4. Verdade: Avaliar a precisão e aplicação real dos dados, como também as conclusões obtidas pelos resultados, é essencial para aproveitar o Big Data. Um em cada três responsáveis pelo marketing das empresas duvida da veracidade dos dados. Enquanto que 27% questiona a exatidão da informação que tem em suas mãos.

É necessário ter a capacidade de gerar as informações desde o momento em que você seja cadastrado no sistema. Assim, as decisões são tomadas bom base na realidade imediata, podendo dar uma resposta até em tempo real. Porém, o armazenamento destes dados para uma avaliação posterior pode resultar na perda de relevância, mesmo quando coletado em tempo real, se a análise dos dados for demorada o cenário não irá corresponder com a realidade.

Para atingir esse objetivo, o processamento e a aplicação do Big Data se resume em 4 passos fundamentais: adquirir, organizar, analisar e decidir. São fases que ocorrem constantemente e permite estabelecer um sistema eficaz para maximizar a utilização de informações valiosas que constantemente ocorre em nosso meio.

Comente aqui

Thiago Acioli

Publicitário, Pós-graduado em Marketing Estratégico e criador do Publicitários Social Club.