Skip to main content
2016

O que vimos na Campus Party 2016

Aconteceu entre os dias 26 e 31 de Janeiro a nona edição da maior experiência tecnológica do mundo. A Campus Party reuniu jovens geeks em um festival de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e entretenimento digital. E o Publicitários esteve lá, cobrindo e aprendendo com os campuseiros. Te contamos tudo o que vimos e gostamos.

Vamos começar com os números, que são enormes e lindos de se vê: São 8000 campuseiros, 6500 barracas, a sua maioria vindo de SP e MG para assistir palestras (que são mais de 600), totalizando mais de 700 horas de conteúdos. É ideia, empreendedorismo, novidades, soluções e muita tecnologia reunida em um só lugar. Isso sem mencionar as maratonas de projetos, com seus 238 projetos inscritos, 102 projetos pré-selecionados baseados nas temáticas: economia criativa, mobilidade e urbanismo, saúde, educação e e-commerce. Tem noção agora da importância do evento?

A temática da Campus Party 2016 foi “Feel the future” (sinta o futuro, ao pé da letra), desenvolvida com a missão de inspirar e preparar o público participante para os grandes desafios e mudanças que a humanidade viverá nos próximos anos. Foram apresentadas inovações tecnológicas de vanguarda que irão transformar os principais setores econômicos do planeta nas próximas décadas, tais como mercado de trabalho, cidades, sociedade, educação e economia.

Entre as palestras de destaques estão as do vice presidente global de marketing de consumo na Kaspersky Lab, Eugene (Che) Chereshnev, do engenheiro que participou da produção de efeitos especiais de diversos filmes no cinema, Grant Imahara, da diretora de tendências do aplicativo Happn, Marie Cosnard, da astrofísica brasileira que recebeu em 2015 o Prêmio L’Oreal/UNESCO para Mulheres na Ciência, Thaisa Bermann, do artista, compositor e ativista cyborg catalão, Neil Harbison, da coreógrafa contemporânea catalã e co-fundadora da Cyborg Foundation, Moon Ribas, entre outros.

O empoderamento feminino teve sua cota na participação da Campus Party 2016 e sua porta voz foi a Marie Cosnard, diretora de tendências do Happn, o aplicativo que une paquera com geolocalização e que está em alta.

Estou ciente da cultura machista que existe no Brasil, é por isso que também estou aqui, pois quero entender o comportamento dos países em que atuamos. Mas graças ao app, uma mulher não precisa mais ficar presa a se relacionar a alguém de seu círculo de amizades. O Happn te dá liberdade para encontrar alguém interessante em qualquer outro lugar”,

explica Marie, que se apresentou nesta sexta-feira (29/01) na Campus Party, no Anhembi, em São Paulo.

Comente aqui

Um comentário em “O que vimos na Campus Party 2016

Comentários fechados.