Skip to main content

O coworking como estratégia de um negócio

Ontem fui num evento aqui em Porto Alegre chamado “Co-vivência: histórias em rede” onde o foco eram as redes sociais, a integração, a colaboração e tudo que envolve nosso comportamento em uma sociedade. Dentro desses temas, alguns palestrantes falaram na famosa “co-criação”, e um deles colocou que a decisão de exercer, digamos assim, a “co-criação” deve estar dentro de uma estratégia maior da empresa. Concordo plenamente, pois nem toda organização tem o que é necessário pra trazer pra perto de si a colaboração de seus clientes. Isso me fez pensar sobre outro “co” que está crescendo por aqui: o coworking.

 Os espaços de coworking são ambientes que permitem que profissionais ou negócios independentes realizem seu trabalho com a possibilidade real da troca de ideias e da troca de experiências. Tem um viés social, informal, onde a proximidade de profissionais distintos podem gerar novos contatos e até novos negócios. Esses locais também permitem que esses mesmos profissionais e negócios tenham uma boa estrutura de um escritório com um custo mais baixo do que teriam com o aluguel de uma sala própria.

Temos uma característica própria desses espaços e temos características próprias de diferentes negócios. Será que no planejamento de uma empresa pode ser interessante a escolha de se trabalhar em um espaço de coworking pensando além do custo, que tem seu atrativo, e sim nos outros benefícios? Resolvi pensar em outros casos onde isso pode aparecer e lembrei das montadoras de carro. No meu ponto de vista elas funcionam hoje muito parecido com o que se poderia encontrar em um “coworking”. Tem a empresa que monta o carro em um terreno e ao seu redor grande parte dos seus fornecedores. Todos trabalham um do lado do outro. Claro, que nesse contexto, temos uma empresa central e outras que a servem, diferente de um “coworking” que não tem uma figura central importante e outros que o cercam. Apesar disso, vejo que nesses espaços o que pode acontecer é que no momento que dois negócios la dentro passam a prestar serviço para outro o que ocorre é a mudança constante desse “núcleo” a cada vez que empresas trabalham juntas.

Eu no momento estou trabalhando fazendo o planejamento de uma agência digital que um colega meu da pós está montando. Resolvemos ir trabalhar em um espaço de “coworking” aqui de Porto Alegre, o Nós Coworking. Decidimos isso justamente pra poder buscar contatos, trocar cartões, fazer amizades e começar a aparecer pro mundo. Além disso tenho um projeto agora com 3 amigos de montarmos a nossa própria agência e ficou bem evidente que é melhor nos reunirmos em um “coworking” pra reunião do que em um café qualquer ou na casa de alguém. Em uma época que as redes sociais estão maximizadas (desde que os nossos ancestrais passaram a conviver juntos, as redes começaram a surgir) devido a tecnologia, porque não explorar essa nossa característica do ser social pra explorar as redes em um ambiente de negócios?

Além disso, tempos atrás pesquisando sobre o Silvio Meira, lembro que em uma entrevista dele que assisti ele falava sobre o futuro das formas de trabalho. Que essa de hoje, mais tradicional, poderia mudar, poderia evoluir. Uma das ideias que ele trouxe era do profissional trabalhar remotamente em locais de “coworking” regionalizados em uma cidade. Por exemplo, a pessoa mora na zona sul e tem que trabalhar na zona norte. Seu trabalho não exige sua presença todos os dias no escritório da empresa. Esse trabalhador vai em um “coworking” e realiza seu trabalho remotamente. Isso evita o trabalho em casa que pode gerar distrações e economiza o tempo do deslocamento nas nossas cidades cada vez mais congestionadas.

Falando especificamente pra quem faz publicidade, marketing, relações públicas, design, administração, talvez seja uma boa ideia considerar esses ambientes ao começar um negócio próprio. Quem faz os famosos “freelas”, ao invés de fazer em casa, fazer fora. Tudo isso pra estar em um lugar onde contatos podem acontecer, colaborações podem surgir e a troca de ideias gerar algum valor.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *