Skip to main content
natal o boticário

O Boticário: nesse natal vendendo amor, suspiros e empatia

Que os comerciais do O Boticário são sinônimos de muitos sentimentos e discussões nós já sabemos e com uma das datas mais esperadas do ano se aproximando, já era de se esperar que a empresa nos contagiasse com mais uma das suas grandes “obras de arte”.

 

Nessa semana foi ao ar o comercial da de natal da O Boticário que com menos de 2min de duração consegue tirar um leve suspiro seu, como sempre tentando pregar de uma forma doce e empática o amor que ronda suas fragrâncias, seu enredo é rejeitado logo de início por conservadoristas e aquele tipo de pessoa que julga “um material de mídia pela capa”.

  • Leia também: Felicidade: estamos em guerra por paz

Acontece que no decorrer do comercial observamos um casal que está junto a mais de 50 anos, onde o marido só enxerga a mulher  da forma como a conheceu à anos atrás. 

Ao andarem juntos pela cidade a rumo a confraternização em família, muitos olhares eram direcionados a eles, acompanhados a um texto narrativo que insinua que eles são um casal liberal do século XXI onde ele se orgulha de tê-la como mulher, e que as imagens o contradizem e faz entender que ela é mais nova que ele, o que a cenografia realmente mostra.

Toda a vez que a vejo, é como se fosse a primeira vez

O novo posicionamento das agências e das marcas em relação a quebra de paradigma está cada vez maior hoje a O Boticário é quem lidera. A forma empática que esses comerciais estão apresentados nos dias atuais trás um pouco de esperança e um suspiro gostoso aqueles que estão aptos a receber a mensagem.

É de se imaginar todos os pré-discursos que foram elaborados e dos bicos que foram torcidos logo no começo do comercial, esse pré-conceito está presente desde que a O Boticário vem inovando quando o assunto se trata de um comercial criativo, como exemplo o comercial do dia dos namorados é um dos mais conhecidos e foi um dos mais falados do ano de 2015.

A criação foi feita pela agência AlmapBBDO, dirigido por Dulcidio Caldeira e produção da Paranoid.

Comente aqui