Skip to main content
marketing

Marketing político digital: ocupe o seu espaço

O marketing político mudou. Aliás, ganhou em ferramentas. As mídias digitais tornaram-se essenciais para qualquer político, partido, campanha, gestão e movimentos sociais. Os exemplos estão aí, e somos todos nós, agentes mais do que ativos nesse processo, curtindo, compartilhando e disseminando informações.

Os cases de sucesso já são muitos. O primeiro a ganhar destaque, todos conhecem: o da reeleição do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Mas eles não estão restritos apenas às campanhas. A manutenção e todo o processo de mensuração e criação de conteúdo em páginas de Prefeituras, Governos de Estados e Governo Federal, atingiu uma importância crucial para a imagem das gestões que estão à frente dessas políticas públicas.

Isso, porque o marketing e publicidade tradicionais dependem de cifras muito maiores. Foi justamente aí, que o marketing digital encontrou uma lacuna e a transformou em terreno fértil para sua ascensão.

Como funciona o marketing político?

A chamada Grande Mídia, por exemplo, trabalha com a venda de espaços. Quando se trata de veicular ações de governo, a publicidade tradicional tende a desembolsar boas quantias para jornais, revistas, outdoor, backbus, rádio e TV. E não se enganem. A gestão que não veicula propaganda nos veículos de mídia tradicionais, não receberá atenção desses veículos. Falo por experiência própria, e vou além: alguns tenderão a cobrir em sua maioria, apenas pautas jornalísticas negativas, sobre a Cidade, o Estado e o País do governo em questão.

E não há apenas uma fórmula para propagandear as ações de certo governo. A página pode ter caráter estritamente institucional, ou algo mais leve. O segredo está em conseguir, não só fazer isso, mas principalmente convencer o cliente de que uma fanpage que quebra o cinza que remete à burocracia pode trazer até resultados mais positivos. Aí, entra talvez o grande exemplo hoje no Brasil, que é a página da Prefeitura de Curitiba.

Tenha em mente que se determinada gestão não ocupar certo espaço na arena digital, com toda a certeza esse espaço será ocupado pela oposição. Mas nunca, em hipótese alguma, apesar da política também ser um mercado, trate a sua manipulação digital e midiática, apenas como um produto qualquer. Eu não lhe aconselharia, a cuidar de uma conta de Prefeitura, político ou movimento, do qual você não tenha a menor afinidade.

Política é coisa séria. Todos nós, somos agentes políticos.

Comente aqui