Skip to main content

Luto por Santa Maria

Luto por Santa Maria

Estava ainda em São Paulo quando vejo na TV do Hostel a notícia de que um incêndio havia causado a morte, até então, de 180 jovens em uma casa noturna de Santa Maria (foram confirmadas 231 mortes e ainda tem muitos jovens em estado grave). Na hora fiquei nervoso demais pois tenho amigas que moram na cidade e poderiam estar entre as vítimas. Felizmente, os meus amigos não estavam na festa, mas muitos amigos de outras pessoas (inclusive de quem eu conheço) estavam. Muitos irmãos, primos, filhos, namorados…

Uma das primeiras coisas que pensei foi sobre quantas vezes eu já estive em festas e percebia que se desse um problema todos que estavam no lugar teriam sérios problemas. Festas superlotadas, com péssima mobilidade, sem sinalização adequada, sem saídas de emergências adequadas, sem pessoal de segurança capacitado para lidar com alguma situação de caos. Nunca pensamos seriamente que uma tragédia irá acontecer, até que ocorre do teu lado, em um lugar que tu tem muitos conhecidos e amigos.

Lembrei daquela tragédia no final de 2004 em Buenos Aires. A noite de final de ano, em uma festa onde jovens foram para se divertir e ver o show da banda Callejeros, se tornou um dia que até hoje os argentinos não esquecem. A tragédia de Cromagnon deixou mais de 100 mortos, derrubou um prefeito, fechou casas noturnas e condenou a prisão diversos envolvidos. Foram descobertos esquemas de propina para conseguir alvará de funcionamento. Os argentinos repetem sempre “NO OLVIDAMOS”, para manter acesa toda a memória de eventos ruins que marcaram e não podem se repetir, espero que aconteça aqui o mesmo.

Uns dizem que não é o momento de procurar culpados. Como não? Quando será o momento se não agora? Ajudar quem necessita não impede de ao mesmo tempo ter uma luta para responsabilizar quem deve pagar pelo o que ocorreu. É a hora de FECHAR as casas noturnas do estado do Rio Grande do Sul (eu diria do Brasil), rever os alvarás, rever os relatórios de segurança, rever a estrutura desses locais. Quem quiser se divertir, vai em bares enquanto se faz um “pente fino” para ver quem pode e quem não pode manter seu estabelecimento aberto.

Pensando nos locais que eu já fui tenho certeza que aqui em Porto Alegre a maior parte dos locais não tem a devida estrutura para receber festas, muito menos com o público que colocam para dentro das casas. Como conseguem os alvarás? Não sei, realmente não sei. Num post anterior escrevi sobre a dificuldade de se aprender com os erros.  Espero que esse seja um momento onde a gente aprenda de fato! Pra isso devemos manter acesa essa discussão sobre a segurança nas casas noturnas.

Sei que esse post foge do tema do blog, mas acredito que é uma discussão relevante e deve ser mantida em todo país. Meu dia ontem foi muito triste. Não consegui dar um sorriso sincero. Não consegui me divertir. Não consegui pensar em outra coisa. A cada notícia nova, a cada leitura de notícia velha, os olhos enchiam de lágrima e dava um nó na garganta. Algumas vezes tinha um sentimento de revolta e raiva ao pensar que tudo poderia ser evitado. A negligência que ocasionou a tragédia. Não é fatalidade. Não é algo inesperado. Pensando sobre os locais que frequento podemos ver que tudo que aconteceu em Santa Maria é esperado acontecer em praticamente todas as casas noturnas, basta um evento que gere caos. Não precisa ser incêndio, pode ser uma briga que gere correria e teremos vítimas pois é praticamente impossível sair com facilidade desses lugares.

Pra terminar, fico muito frustrado com algumas pessoas que fazem piada sobre o que ocorreu. Que pensam em seus próprios interesses quando, por exemplo, se revoltam porque o Planeta Atlântida (evento da RBS no litoral do Rio Grande do Sul com shows nacionais) foi transferido. Me revolta saber dos relatos a respeito da maneira que os seguranças do local dificultaram a saída em um primeiro momento por causa de pagamento. Mas fico feliz vendo que essas pessoas na verdade são ilhas no oceano de pessoas solidárias. Gente de todo o Brasil e do mundo de luto, triste, abatida, chocada… e que, espero, não esquecerá a noite do dia 27/01/2013 para que nunca mais algo assim se repita.

OBS.: CASO QUEIRAM AJUDAR DE ALGUMA MANEIRA, ESTÁ ABERTA UMA VAQUINHA NA WEB, BASTA ACESSAR O VAKINHA!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *