Skip to main content
internet tubarão

Internet vs. TV: quem sobrevive no final?

O mercado consumidor é, nos dias atuais, direcionado pelas mídias publicitárias. A necessidade de se obter um bem perdeu o seu lugar de importância e foi substituída pelas decisões tomadas por grandes CEO’s em mesas de reunião no 12° de algum prédio comercial nos centros urbanos. Os meios de levar até o cliente tais escolhas são tão rápidas e devastadoras que em minutos pode levar 90% da população de um país, tendo como base o Brasil, a aderir algum tipo de bem ou serviço, assim como a negatividade dessa escolha para o nome da marca.

Dois grandes influenciadores em massa são a TV e a Internet. A publicidade é encontrada nos dois meios, tendo uma vasta diferença no modo na qual é aplicada. Enquanto na televisão as empresas chegam a pagar mais R$626.970 reais por 30 segundos para comercializar uma propaganda em horário nobre (aquele break básico entre a novela das nove justo no momento em que vão descobrir quem matou Ciclano), a internet custa três vezes menos e consegue abranger um maior número de possíveis clientes, os quais estão além da alienação governamental que está imposta na maioria das emissoras televisivas.

 

O ponto onde eu quero chegar é que a Publicidade Televisiva chegou a seu ponto decadente, ou pelo menos perdeu seu foco principal aos olhos dos publicitários atuais, pois com todos os modos de acesso que a internet disponibiliza, qualquer um em qualquer lugar consegue em questão de segundos uma biblioteca de informações sobre qualquer assunto.

internet midias sociais

Para comentarmos esse assunto é necessário abranger a velocidade de resposta, um alcance grande de público e um contato maior com o cliente que a internet nos proporciona. Uma das grandes sacadas dessa modernidade é a acessibilidade que o cliente tem com as empresas através das redes sociais, hoje em dia as pessoas são respondidas por sua insatisfação ou, outros assuntos, em comentários no Facebook ou em mentions no Twitter, assim o cliente sai do modo passivo e interage mais com a marca, popularizando-a sem muitos custos.

internet monroe

Podemos também citar as empresas que já surgiram na internet e que tem como alvo publicitário os clientes online. Muitos jornais renomados e editoras de livros e revistas passaram a investir no mundo digital, disponibilizando bibliotecas musicais e verdadeiras livrarias digitais, isso tudo a clique de distância.

internet jornal

Essa acessibilidade fideliza o cliente e por tabela acaba sendo mais compartilhada, fazendo com que a marca tenha um bom desempenho, consiga ser divulgada e acaba tendo um investimento baixo comparado a mídia concorrente, se é que podemos coloca-la assim. Sendo assim, fica a questão: a televisão ainda é um meio de alcance para divulgação de um novo produto, ou repaginação de um serviço?

Comente aqui