Skip to main content
smartphone

E se… não existisse smartphone

CONHEÇA AS 10 COISAS QUE VOCÊ (OU SEUS PAIS) FAZIA(M) ANTES DOS SMARTPHONES DOMINAREM O MUNDO

Imagine se você não pudesse ler esse texto porque esqueceu o celular em casa. O que você faria? Provavelmente você iria correr até o computador mais próximo e procurar por ele ou então só saberia da existência destas linhas se um colega comentasse sobre elas na hora do almoço.

O celular é uma tecnologia tão essencial que sequer nos damos conta disso no meio da rotina puxada. Ele ajuda no trabalho, traz informações, ameniza as arestas temporais e mais uma série de utilidades que estão disponíveis a apenas um aplicativo de distância.

Desde a primeira ligação feita a partir de um celular, em 1973, até agora, a tecnologia só foi acrescentando mais oportunidades de comunicação. É claro que no início eles não eram tão portáteis assim, mas com um pouco mais de aperfeiçoamentos, chegaram os anos 90 e aparelhos de tamanho possível de carregar, pelo menos na mochila ou na bolsa (mas não ainda no bolso da calça).

A partir de então, a comunicação via celular, que era limitada apenas às ligações, passou a permitir o envio e o recebimento de mensagens SMS e você já podia personalizar seu aparelho, pelo menos com toques de sua preferência. A próxima evolução foi o visor com cores e o que aconteceu depois foi uma verdadeira revolução: o acesso à Internet! Foi aí que os modelos com câmeras e MP3 começaram a sair, o que demandou mais memória nos aparelhos. Por último, a tela sensível ao toque fecha este circuito de funcionalidades a que temos alcance e nem percebemos.

Justamente por não reparar na praticidade que os smartphones proporcionam para nossas vidas é que convidamos você a voltar no tempo e recordar como as coisas já foram um pouco mais complicadas, com…

AS 10 COISAS QUE VOCÊ (OU SEUS PAIS) FAZIA(M) ANTES DOS SMARTPHONES DOMINAREM O MUNDO

1 – Usar aquela coisa chamada telefone fixo, que só pode ficar num único lugar

A única forma de se comunicar rapidamente com a outra pessoa era ligando para a casa ou para o trabalho dela e torcer para que ela estivesse por perto. Isso quando você não ligava para o vizinho e pedia para ele chamar a pessoa na casa ao lado…

2 – Fazer ligações telefônicas

Hoje, usa-se pouco esse recurso, o mais antigo dos celulares, mas antes, você precisava abrir a agenda, esperar dar linha (telefones mudos eram muito comuns), discar dígito por dígito do número de telefone para o qual você gostaria de ligar e aguardar a chamada. Ao terminar, tinha que colocar o telefone no gancho.

3 – Revelar fotos

Nada de ver as fotos na hora em que elas eram tiradas, muito menos sair fotografando tudo o que encontrasse por aí. As máquinas fotográficas precisavam de filmes, que eram limitados até mais ou menos 36 cliques e só depois de esgotar o filme é que podia revelar. No dia de voltar na loja para buscar as fotos, você recebia um álbum simples para conservar as imagens, que depois circulava pelas mãos daqueles que realmente queriam ver o resultado.

4 – Manter pastas com textos e imagens de referências

Sem essa de favoritar, curtir ou salvar imagens e artigos dos quais você gostou. Pelo menos até a chegada da Internet.

Era comum arquivar em pastas páginas de revistas, recortes de jornal e manuscritos com as coisas que achasse interessante.

5 – Procurar serviços nas páginas amarelas

A lista telefônica quebrava muitos galhos! Nas páginas amarelas, ficavam o nome, o endereço e o telefone da maioria dos serviços da cidade, inclusive táxis, hotéis e restaurantes. Com a Internet, essa tarefa também começou a ser facilitada (e ainda bem, pois aquelas letrinhas eram difíceis de enxergar).

6 – Pesquisar em livros

Crianças na escola, universitários ou profissionais que precisassem consultar materiais de apoio tinham que ter um acervo disponível em casa ou procurar numa biblioteca. Mesmo com a invenção do computador, as pesquisas não podiam ser realizadas em qualquer lugar, pois a Internet era limitada à localização do PC.

7 – Esperar o jornal

Quer dizer, o jornal costumava chegar bem cedo, antes mesmo das pessoas acordarem. Só assim elas saberiam as notícias do dia anterior, principalmente as que vinham de lugares distantes.

8 – Marcar horário para o encontro

Pode não parecer, mas já fomos capazes de marcar um encontro e aparecer no horário sem a necessidade de confirmar ou adiar inúmeras vezes. E nada de decidir mudar o lugar em cima da hora, porque se o outro já estivesse fora de casa, seria muito difícil avisá-lo de qualquer mudança ou cancelamento (que é muito deselegante).

9 – Gravar fitas cassetes ou CDs

Essas eram as únicas formas existentes de montar uma playlist. Era uma tarefa um pouco mais complexa porque, além de escolher as músicas que você queria, tinha que gravar faixa por faixa quando era fita ou, mais tarde, queimar o CD num programa de computador.

10 – Conversar mais

Não era só porque não tinham um dispositivo nas mãos que as pessoas conversavam mais, mas também porque essa era uma maneira de se informarem e de conhecerem gente.

VIU SÓ COMO MELHOROU?

E você aí reclamando de quando o celular trava!

As atividades que realizamos hoje são praticamente as mesmas, mas nossa relação com o smartphone permite que a forma como as realizamos sejam totalmente diferentes. Essa simplificação nos ajuda a viver de um modo menos estressante, desde que a tecnologia não se torne um vício e não nos iniba de resolver assuntos no modo off-line.

Agora, se a lista despertou uma saudade dos velhos tempos ou se você é daqueles que acham que poderia viver bem sem o celular ou se só gosta de um desafio, por que não passar um dia longe do smartphone?

Fonte: Bem Mais Seguro

Comente aqui

Fernanda Landim

Formada em Publicidade e Propaganda, nerd e apaixonada pelo Canadá. Durante algum tempo estive perdida sobre que área da Publicidade deveria focar. Decidi explorar um pouco de cada.