Skip to main content
resistencia-texto-internet

Criando conteúdo escrito além de 140 caracteres

A alguns anos atrás se você clicasse em qualquer site de conteúdo, notícias e afins iria encontrar textos, não textos como esse e sim textões como aquele típico de Facebook.

O que você não sabe, é que esses textões, os famosos “long form”, já habitavam as url’s muito antes da famosa rede social, antes do Tumblr, YouTube e outros, a forma de se consumir conteúdo estava dentro dos textos mais longos, a velocidade da internet cooperou bastante para isso já que para carregar uma simples imagem precisava-se de muito tempo e paciência.

Contudo, graças ao avanço tecnológico e a banda larga, 3G e 4G conseguimos consumir um maior número de mídia, assim como a diversidade de conteúdo que vem surgindo na internet. Hoje é mais fácil você consumir a mídia da nova marca por um vídeo, snap ou vine do que através da FAQ do site oficial (mas quem fazia isso mesmo?)

As mudanças

De qualquer forma as coisas mudaram e para que você desenvolva um conteúdo escrito com mais de 140 caracteres deve-se adaptar ao SEO, sendo assim conseguimos enxergar a caminhada que a história da internet fez, saindo de textos grandes com longos parágrafos aos atuais onde precisamos decidir qual número de parágrafos curtos vai ficar melhor para que o Google ranqueie-nos.

Logo volto a ideia das novas mídias e a forma como devemos criar conteúdo escrito nos dias de hoje, se a internet me exige competir com poucos caracteres contra mais recursos (vídeos, snapchats, vines, podcats) devo concluir que o pouco conteúdo por mim compartilhado deve ser – além de bom, é claro – bem redigido, empregado, e acima de tudo, bem direcionado.

Sou um fã assumido do Facebook, não pela plataforma em si, mas a forma como ela consegue mensurar meu público alvo de uma forma mais fácil (impulsionamento), o que o Twitter também já está fazendo em fase Beta.  O legal de tudo isso é que dá para ver o futuro só de unir essas informações, entender que no mundo das “fast midias” só os bons textos prevaleceram.

Leia também: Facebook: saiba que em 2016 além de um bom conteúdo será preciso publicidade de qualidade

Entenda que, para vender palavras hoje é necessário estudo, pesquisa e dinâmica. Não basta só escrever um texto e posta-lo, se este não atender o que o seu público espera aceite, ele não vai vingar, a escrita criativa é a salvação para muitos sites e criadores de conteúdo, escrever de forma dinâmica e fora de padrões de norma culta ajudam na compreensão e consumo do público, fazendo assim a permanência da unanime escrita entre as telas dos desktops, notebooks e smartphones.

Comente aqui