Skip to main content
publicidade de alimentos

Campanha mundial pela regulação da publicidade de alimentos

publicidade de alimentosEntidades internacionais estão lançando uma campanha de caráter mundial para que a publicidade de alimentos tenha uma regulação semelhante às que são feitas com as propagandas de cigarro. A notícia foi publicada nesta terça-feira (20/05) pela BBC Brasil, e reproduzida em alguns portais famosos de notícias.

A matéria relata que duas dessas entidades internacionais a Consumers International (que organiza campanhas internacionais em defesa do consumidor) e a Federação Mundial de Obesidade, lançaram nesta semana uma convocação global para que os governos regulem esse setor e comecem a funcionar como a indústria do cigarro. Ainda segundo a reportagem, uma lista de reivindicações foi elaborada e em uma avaliação realizada entre essas organizações aponta como resultado que a obesidade oferece hoje, mais riscos à saúde humana do que o tabaco.

Tanto a Consumers Internacional quanto a Federação Mundial de Obesidade afirmam que as mortes globais devido à obesidade e ao sobrepeso aumentaram de 2,6 milhões em 2005 para 3,4 milhões em 2010. A Organização Mundial de Saúde (OMS) revela que a obesidade está entre as três principais causas de mortes em todo o mundo, ao lado do tabagismo e do álcool. Dados de 2008 da OMS revelam que 35% dos adultos acima de 20 anos estão acima do peso e 11% são considerados obesos. A obesidade tem crescido muito, e já está sendo classificada como epidemia global. Entre os principais causadores temos o sedentarismo e o péssimo hábito alimentar, como a dependência de lanches rápidos (fast-food).

Entre as propostas reivindicadas pelas entidades estão a redução dos níveis de sal, de gordura saturada e de açúcar nos alimentos e a melhoria na comida servida em escolas e hospitais. _As organizações também reivindicam um controle mais rígido da propaganda de alimentos e uma maior promoção, por parte dos governos, de hábitos saudáveis de alimentação_, relata a BBC.

Queremos evitar uma situação como a dos anos 60, quando as fabricantes de cigarro diziam que não havia nada de errado com seus produtos, que eles eram bons para a saúde e, 30 a 40 anos depois, milhões [de pessoas] morreram, disse Upchuch à BBC.

regulação da publicidade de alimentos

Se não tomarmos uma atitude agora, teremos a mesma intransigência e a morosidade na indústria de alimentos“, acrescentou. Ele diz que as novas regras deveriam ser discutidas no âmbito global, o que significaria que os governos estariam ‘legalmente obrigados’ a implementa-las, em vez de simplesmente ignorar a situação.

Regulação da publicidade de alimentos no Brasil

No Brasil, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), apoia a regulação da publicidade de alimentos. O assunto tem sido ponto de pauta de diversas reuniões do conselho, que já aprovou exposições de motivos e recomendações sobre o tema.

Um dos itens de maior preocupação dos conselheiros é a publicidade dirigida às crianças, pois estas formam um público vulnerável aos apelos da propaganda e ainda sem condições suficientes para discernir entre os alimentos saudáveis e os não saudáveis. O tema “Regulação da publicidade de alimentos” faz parte dos assuntos da Comissão Permanente que trata de Consumo, Nutrição e Educação – que terá reunião interna na próxima terça-feira (27/05), das 9h30 às 13h.

Comente aqui