Skip to main content

Até a Coca-Cola precisa se adequar

Que vivemos em uma cultura de massa, onde tudo é feito de maneira generalizada, todos sabemos. Porém em algumas culturas certas tradições são tão valorizadas que algumas marcas se veem obrigadas a se adequarem a elas, e não ao contrário. No Brasil eu conheço dois casos de amor que fizeram a Coca-Cola e outras marcas se adequarem.

O primeiro exemplo vem de Parintins, lá as pessoas levam a risca a disputa entre Caprichoso e Garantido. Quem é Caprichoso nem pensa em tocar, usar objetos que tenham vermelho, e quem é Garantido nem chega perto de coisas azuis. Podemos ver na imagem a baixo que outras empresas como a TV Band, a cerveja Kaiser, e o banco Bradesco também tiveram que se adequar para satisfazer os consumidores locais.caprichoso-garantido

Outro caso de adequação que conheço fica no Rio Grande do Sul, lá a paixão por futebol é grande, e a rivalidade entre gremistas e colorados é tanta, que no estádio do Grêmio não existe nada em vermelho, pelo que sei nem os extintores de incêndio são vermelhos. No estádio gremista a Coca-Cola nunca conseguiu estampar a sua marca original, nem nos uniformes, ou em qualquer outro tipo de mídia. Apesar de vivermos em um sociedade de massa, as marcas precisam se adequar de acordo com cada cultura se realmente querem conquistar os consumidores, e esses exemplos mostram isso. Se você conhecer outros, mande pra gente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *