Skip to main content
antarctica subzero conar

Antarctica Subzero oferece: Um tapa na cara do CONAR

Não é a casa da mãe Joana! Quem olha de fora pensa que o mundo publicitário é uma bagunça, que não passa de uma terra sem leis e a zoeira não tem limites. O pessoal que cria gosta de usar aquela bendita frase que diz: as regras foram feitas para serem quebradas.

Só que não é bem assim, achar que publicitário não se importa com nada nem ninguém é um pensamento muito exagerado e bastante equivocado, pois existem regras e são levadas a sério (ao menos na maioria dos casos). Além disso, cada vez mais as pessoas interagem, compartilham, elogiam e criticam, e a reputação de uma empresa pode despencar com um clique.

 

É como o colega jornalismo que precisa, quase sempre, de uma chamada polêmica – na maioria das vezes mentirosa – que faça barulho no mundo da comunicação e chame a atenção dos leitores para ser eficaz. A frase que retrata isso é: quem não é visto não é lembrado. Os comerciais também precisam ser vistos, afinal, precisam ser lembrados e os produtos vendidos (sem usar propaganda enganosa, é claro).

Restrições são necessárias ou as regras devem ser quebradas?

A propaganda brasileira de cerveja fica mais restritiva conforme os anos passam, um exemplo disso é a proibição da exposição de pessoas bebendo durante um comercial. Outros casos bem comuns têm relação com machismo e exposição excessiva da sexualidade da mulher. Enfim, existe uma diversidade de restrições apontadas pelo CONAR (e pelo público) e no mundo publicitário isso meio que deixa os criativos de plantão de mãos atadas. Mas sempre existe alguém que usa um problema para criar uma solução. A Antarctica que o diga.

Mãos atadas que nada, até a proibição é referência:

E explorando essa proibição, a galera da Antarctica Subzero resolveu tirar uma onda em seu comercial “Gostosa além da conta”. O resultado, além de provocante, ficou bastante descontraído. Observe:

O mais interessante de tudo e que me deixa muito orgulhoso é que mesmo com tantas restrições os criativos não travam. Não sei quem foi que criou o comercial da Antarctica mas isso só deixa claro que um publicitário preparado, com boas referências jamais ficará de mãos atadas!

Usar as restrições para criar e ainda tirar sarro disso foi, no mínimo, sensacional, não acham? Me arrisco a dizer que esse comercial da Antarctica se encaixa no quesito: Sexy sem ser vulgar.

Comente aqui