Skip to main content
antarctica clube do samba

Antarctica (re)apresenta o Clube do Samba

Era maio de 1979, quando João Nogueira decidiu mudar a história do samba para sempre. Cansado das batidas disco e letras estrangeiras que invadiam rádios e discotecas brasileiras, fundou em sua casa o Clube do Samba. Reconhecido como o maior movimento de resistência ao estrangeirismo na música, é comum ouvir que se não fosse o Clube, o samba não estaria mais entre nós.

O Clube era realizado dentro da casa de João Nogueira, no Méier, e só podiam entrar sambistas e convidados, já que “aos sambistas tudo e aos bicões nada”, como dizia o próprio João. Destes encontros nasceram novos nomes do samba como Zeca Pagodinho, que foi levado por Beth Carvalho e composições de sucesso, como o próprio hino do clube.

37 anos depois, em uma grande homenagem ao centenário do samba e aos sambistas, Antarctica, apoiada por membros originais como Martinho da Vila, Beth Carvalho e o herdeiro, Diogo Nogueira, vai reapresentar o Clube do Samba e fazer jus a famosa frase de Nelson Sargento, “o samba agoniza, mas não morre, alguém sempre o socorre”.

Um casarão no centro do Rio de Janeiro, a decoração feita com itens autênticos do Clube e réplicas inspiradas no acervo disponibilizado, serão o cenário da nova versão do reduto responsável por não deixar o samba morrer. Em quatro finais de semana, com início no dia 30/04, a velha guarda do samba se encontrará com a nova geração para festejar a vida longa do ritmo que se tornou uma instituição. A curadoria do projeto é assinada por Nilcemar Nogueira, neta do Cartola.

Martinho da Vila será o anfitrião dos quatro sábados. E como acontecia no salão de João Nogueira, os bambas estarão reunidos para tocar, falar e fazer samba. Emocionados com o remake, os sambistas contam em filme produzido por Antarctica e AlmapBBDO, o que o Clube e sua volta significa em suas vidas.

Desde que o samba é samba, ser democrático faz parte de sua essência e, por isso, as festas terão entrada gratuita. Os interessados deverão se inscrever a partir do dia 26/04 no site de Antarctica  – até a casa atingir sua capacidade máxima. Fechada a lista, o site disponibilizará a inscrição para o próximo final de semana. Para que todos possam se sentir parte da história, Antarctica disponibilizará cobertura completa em suas redes sociais com fotos e vídeos.

“Nós costumamos dizer que se Antarctica tivesse um coração ele seria como o dos cariocas: batucaria ao invés de bater. Somos grandes apoiadores do samba e há anos promovemos e incentivamos o ritmo com diversas ações. No ano do centenário, reapresentar o Clube do Samba foi a melhor maneira que encontramos de homenagear um movimento real, que defendeu o ritmo e permitiu que ele chegasse a esses 100 anos nos emocionando e embalando histórias autênticas, como a de amor entre a BOA e os cariocas”, comenta Maria Fernanda de Albuquerque, diretora de marketing da marca.

O Clube do Samba marca o lançamento da plataforma Batuque da BOA, voltada totalmente para a história do samba e comemoração de seus 100 anos, que se dividirá entre conteúdo digital e diversos eventos no Rio de Janeiro. O Clube do Samba é uma idealização e produção da agência BFerraz. O conteúdo digital e filme de Antarctica é de concepção da agência AlmapBBDO.

Comente aqui

Thiago Acioli

Publicitário, Pós-graduado em Marketing Estratégico e criador do Publicitários Social Club.