Skip to main content

A virtude de saber dizer não

Vocês já pararam pra pensar como é difícil dizer não? Crescemos e recebemos nossa educação tendo que seguir regras e aceitar o que vem daqueles que são as autoridades na nossa relação. Ao longo do nosso desenvolvimento temos que dizer sempre sim pros nossos pais e nossos professores. Mesmo maiores de idade continuamos nessa mesma dinâmica na graduação e logo que entramos no mercado de trabalho. Levamos muito tempo até chegar em um ponto onde parece ser aceitável dizer não.

Até conquistarmos esse privilégio, toda vez que questionamos algo e dizemos não e fazemos um contraponto, somos considerados rebeldes, mal educados, problemáticos e que não tem respeito pela autoridade. Dizer não é uma ofensa. O que se perde nisso é o poder de questionar e buscar sempre novos conhecimentos, saber porque as coisas são de determinada maneira e ver se não existem outros caminhos. Quando somos acostumados a dizer não, a tomar uma posição, somos obrigados a estar sempre em busca de novos conhecimentos e de como fazer as coisas de uma maneira melhor. Acabamos aprendendo a tomar decisões, nos posicionar e entender o que acontece ao nosso redor.

O problema disso tudo é que nunca fomos educados pra isso e quando chegamos no mercado de trabalho existe um fator determinante pra muitas vezes sermos tentados a aceitar mesmo não concordando: o dinheiro. Quem nunca discordou de um superior com medo de perder o emprego? Quem nunca aceitou desaforos de um cliente só por acreditar que o cliente tem sempre a razão (o que não é verdade)? Quem nunca abriu mão de uma ideia porque o cliente bate o pé e quer que seja feita da maneira dele? Quem nunca fez tudo isso sem ao menos o menor questionamento? Certamente vamos encontrar um monte de exemplo. O que é irônico disso tudo no mercado de trabalho é que cada vez mais o discurso é de querer profissionais com atitude, os famosos “pró-ativos” e mesmo assim cercam os mesmos de regras e de imposições autoritárias.

Vocês devem estar se perguntando “o que isso tem a ver com marketing e comunicação”? Acho que tudo, ainda mais quando estamos dentro de agências e tratamos com clientes que nos contratam mas muitas vezes querem que tudo seja feito do jeito deles. Resolvi escrever isso porque hoje no trabalho passei por uma situação que a primeira coisa que eu disse pro meu chefe foi: isso que o cliente quer não está correto e devemos dizer o nosso ponto de vista e não aceitar a imposição, é necessário o diálogo. Entendo a posição do dono da agência que eu trabalho em ficar com um pé atrás e fazer diversas concessões e no fim conseguir algo um pouco melhor do que nos foi entregue, afinal é uma agência nova que ainda procura se estabelecer atendendo um mercado muito conservador e tradicional aqui no Rio Grande do Sul, mas ao menos ele se posicionou e conseguiu uma conversa.

Acho que as pessoas devem dizer não mais vezes. Não concorda? Diz. Sem medo. Mostra o porque acha que está errado, mostra um novo caminho, mostra seu ponto de vista. Assim todos serão mais críticos ao analisar as coisas que acontecem e só assim as mudanças ocorrem. Só assim se quebram os paradigmas na sociedade. Se hoje temos tantos direitos e liberdades, se o conhecimento na nossa área de comunicação e marketing foi evoluindo é porque em algum momento alguém disse não pras verdades absolutas e tomou um outro caminho. Assim evoluímos. Dizer não é o princípio de um diálogo. De uma construção. De um melhor entendimento do que acontece. É uma virtude.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *