Skip to main content
habilidades

6 habilidades não-técnicas que os criativos precisam

Visar o seu próximo emprego significa mais que ter um porfolio impecável e um manuseio do Illustrator ou inDesign.

Com as firmas criativas recebendo em torno de 23 currículos em cada abertura de vaga e entrevistando somente 6 candidatos, você deve se destacar da concorrência. Como? Desenvolva e apresente habilidades interpessoais que vão além do conhecimento técnico e uma visão para o design.

Esses traços “não-técnicos” também podem te auxiliar, fazendo com que você seja bem cotado para uma promoção ou cargo de liderança dentro da Empresa. Para alavancar a sua carreira, aperfeiçoe-se nos seguintes ‘soft skills*:

  1. Diplomacia: O trabalho criativo envolve constantes questionamentos e debates de ideias, opiniões e melhores práticas. Você também tem que levar em consideração os egos inflados de alguns clientes e colegas de trabalho. Então saber como defender o seu ponto de vista sem parecer um megalomaníaco é crucial.
  2. Comunicação: Falha em comunicação é uma fonte comum de conflito. A habilidade de se comunicar claramente permite que colegas de trabalho e clientes tenham uma visão parecida com a sua. Sim, a imagem pode valer mais de mil palavras, mas o conceito maior no papel ou na tela precisa ser vendável, e o designer tem que ser capaz de articular o propósito, razão e impacto. Também é importante ser capaz de simplificar ideias, sejam elas escritas ou faladas, para o público “não-designer”.
  3. Flexibilidade: Todo designer conhece esse cenário: Você está perto de fechar um grande projeto quando o chefe, ou o cliente, volta com um “puxão de orelha”; uma mexida no prazo ou até uma mudança de diretriz. Mas invés de tratar o trabalho como “sagrado” ou reclamar sobre como as coisas são injustas, os profissionais que seguem em frente nas suas carreiras são aqueles que se adaptam às realidades do processo criativo. Entretanto, existe uma linha tênue entre adaptar-se e ser manipulado.
  4. Trabalho em equipe: A menos que você seja do tipo “agência de 1 pessoa só”, trabalho em equipe é vital para o sucesso de qualquer projeto – e sua carreira. Chefes e gerentes valorizam profissionais que conseguem se dar bem com diferentes personalidades, atender a prazos e dar e receber críticas da maneira correta. Para garantir um time funcional, membros devem saber as suas responsabilidades e seus prazos; uma boa tabela de produção pode ajudar com isso. Se o seu coordenador não designar um responsável, você talvez queira se voluntariar para manter o projeto na direção correta.
  5. Gerenciamento de tempo: Mesmo que você estipule seu preço por hora ou por projeto, o seu tempo é precioso. Na prática, isso significa priorizar tarefas e criar uma lista de afazeres realista todos os dias. Também reduzir distrações: se notificações e pop-ups tiram a sua atenção, ponha o seu telefone no silencioso e desligue as notificações. E enquanto criativos precisam de um fluxo constante de informações ou novas perspectivas para continuar inovadores, não deixe que “surfar” no Facebook, Pinterest ou outros blogs se tornem uma tática para evitar o trabalho.
  6. Vontade de aprender: Desenvolvimento profissional é importante em qualquer área, mas criativos em particular devem estar atualizados sobre as últimas tendências e tecnologia. Independente da sua preferência entre cursos presenciais, conferências e eventos, ou outros tipos de treinamentos, aprender novas habilidades vai manter você no topo do mercado.

*Soft skills: Em uma tradução literal seria ‘habilidades leves’. Refere-se às habilidades de cunho psicológico ou pessoal. Diferente das hard skills, que podem ser comprovados com diplomas e certificados, como graduações.

Fonte: http://www.howdesign.com/design-career/on-the-job/6-non-technical-job-skills-creatives-need/

Comente aqui

Fernanda Landim

Formada em Publicidade e Propaganda, nerd e apaixonada pelo Canadá. Durante algum tempo estive perdida sobre que área da Publicidade deveria focar. Decidi explorar um pouco de cada.