Skip to main content
tendências

5 tendências que marcarão as vendas nos próximos meses

O Google analisou as principais tendências do comércio para determinar o que vai acontecer nos próximos meses. Conheça 5 tendências que serão destaque em vendas muito em breve.

1. Tendências de uma supremacia mobile

Os dispositivos móveis estão cada vez mais importantes no direcionamento das vendas. Eles já são, de fato, um dos protagonistas nas decisões de compra. Segundo o Google, nos Estados Unidos, 36,7% dos consumidores procuram um produto/serviço para comprar através do smartphone para comprar e 21,8% dessas pesquisas terminam em uma decisão de compra. Além disso, 25,1% usam seus celulares para encontrar o endereço físico da loja onde deseja comprar os produtos.

No ano passado, os consumidores usaram smartphones em 52% dos seus processos de compra no Natal e 71% deles já estão à procura de lojas em geral e locais exatos em seus dispositivos.

Previsões do Google com base no que aconteceu no ano passado e que está acontecendo este ano é que o celular ainda vai ganhar mais destaque e que os consumidores irão utilizá-lo mais no processo de compra. Para ter sucesso, portanto, você não terá escolha a não ser investir recursos para que a presença mobile da sua empresa garanta que sua marca vai estar lá quando os compradores tirarem o smartphone do bolso enquanto fazem compras.

2. Sempre conectados

O consumidor de hoje está sempre ligado e multiconectado. Para qualquer processo de campanha e de vendas para o futuro imediato é imprescindível atingir os consumidores mais informados. Eles gastam muito mais tempo do que no passado para investigar antes de comprar e antes de comprar um produto, eles definitivamente levam em consideração muitos fatores ​​que foram consultados e analisados ​​online.

Em 2010, cada consumidor consultado na rede em média, pesquisou mais de 5 fontes antes de comprar um produto. Em 2013, esse número de consultas antes de tomar uma decisão de compra foi em 13. A lógica é que, no futuro, este número continuará a aumentar.

 

O canal mais influente para informações é o YouTube e os comentários do vídeo são um elemento que pode fazer pender a balança na hora da compra. Gerenciar uma presença positiva e ativa nestes meios pode ajudar, é só chamar a atenção dos consumidores, enquanto navega na net. Porque, a verdade é que os consumidores não procuram, em geral, um produto de uma determinada marca, mas sim procuram por uma categoria.

3. Cada vez menos pessoas nas lojas, não é um problema

As estatísticas mostram que o fluxo de pessoas em lojas físicas caiu nos últimos tempos, embora a compra média de cada uma dessas visitas aumentou. Para manter esta tendência a loja física deve ser incentivada como fazem também com os e-commerce’s. Por exemplo, você não deve esquecer que 84% dos consumidores olham para os produtos no smartphone durante o processo de compra e durante a visita na loja física. Mas, de acordo com o Google, 1 em cada 3 desses consumidores aproveitam que tem o dispositivo mobile na mão e procuram tirar a sua dúvida, comparando o produto do site com o da loja física, antes de fazer o pedido.

53% utilizam os smartphones apenas para comparar preços, portanto, devemos aproveitar essas oportunidades. As lojas podem usar para compradores diretos a sua loja on-line ou adicionar novas informações sobre produtos e ofertas que os clientes podem encontrar quando estiver acessando a internet a partir de seus smartphones em seus estabelecimentos.

4. Não se esqueça das propostas

O preço é muito importante e os consumidores estão completamente obcecados com isso. De acordo com o Google, 92% dos compradores comparam preços antes de comprar um produto e 91% de tomar sua decisão de compra com base no preço. E que realmente funciona tanto a nível on-line ou off. Tanto assim, que para muitos consumidores de comércio eletrônico são livres para determinar quem ou o que comprar. Para 83% é tão importante que até preferem que esperar dias para realizar as suas compras, em vez de pagar pelo transporte.

As propostas são uma chave para ter sucesso e obter mais itens de vendas. Para os consumidores mais poupadores que se preocupam mais sobre a obtenção de bons preços, o período de compras é muito mais amplo do que para os demais, de forma que precisa vender mais antes da licitação inicial.

5. As ofertas já não são o principal atrativo

E isso faz com períodos como Black Friday menos relevante: períodos de ofertas limitadas já não são o único motor para ter sucesso em vendas, especialmente em campanhas como o Natal. As compras começam a desvanecer-se no calendário e não se concentrar tanto em períodos específicos. Na verdade, de acordo com dados do Google, 29% dos compradores americanos começam a comprar os presentes de Natal antes mesmo do Halloween, ou seja, 31 de Outubro.

As promoções, para terem sucesso e vender mais, devem ser distribuídas por mais tempo e não limitadas a um determinado dia.

Gostaram da matéria? Tem alguma observação a acrescentar? Deixe aqui nos comentários e não esqueça também de compartilhar com seus amigos. Um grande abraço e até a próxima. 🙂

Comente aqui

Thiago Acioli

Publicitário, Pós-graduado em Marketing Estratégico e criador do Publicitários Social Club.